UNIDOS PELA PRESERVAÇÃO

O futuro da natureza depende do que você faz agora. Ajude a cuidar de nossas árvores, dos nossos animais, das nossas flores, principalmente dos nossos rios, mares e lagos, eles são a preservação da vida na terra. Faça sua parte! Autor: Júlia Kranz Kniest

SEJAM BEM VINDOS!!!

domingo, 17 de fevereiro de 2019


José Augusto Costa
Resultado de imagem para zé augusto sergipano
Resultado de imagem para zé augusto sergipano
Nome completo José Augusto Costa
Também conhecido (a) como José Augusto Sergipano, José Augusto Velho
Nascimento 3 de outubro de 1936
Aquidabã, SE
País   Brasil
Morte 5 de dezembro de 1981 (45 anos)
Feira de Santana, BA
Período em atividade  1953-1981
Gravadora(s) Carnaval, Chantecler, Continental
José Augusto Costa (Aquidabã, 3 de outubro de 1936 - Feira de Santana, 5 de dezembro de 1981), também conhecido como José Augusto Sergipano ou José Augusto Velho, foi um cantor brasileiro
José Augusto nasceu na Avenida Santa Terezinha, no bairro da Baixinha, em Aquidabã, Sergipe, onde fez os primeiros estudos, e depois veio morar em Aracaju, concluindo o segundo grau. Em 1953, estudava e trabalhava na primeira linha de ônibus coletivo da capital sergipana.
Sendo um dos seis irmãos, era o filho mais novo de Maria Adolfina Costa e de Januário Bispo dos Santos.
O jovem José Augusto cantava nas festinhas das escolas e festas de aniversários, pois sua vocação para cantor aflorou na juventude. Gravou mais de 200 músicas, em 22 LPs, iniciando a sua carreira de cantor na Gravadora Chantecler, realizando seu grande sonho, gravando também em outras gravadoras. O seu nome "estourou" nos principais programas radiofônicos da capital paulistana, fazendo sucesso retumbante, admirado pelos nordestinos e pelos brasileiros de um modo em geral. Viajou por todo o país fazendo shows, apresentando-se em palcos dos cinemas (na época os cinemas eram os principais locais para a apresentação dos artistas). As emissoras de Aracaju tocavam os seus discos diariamente, fato que se repetia em todo o Brasil.
Em 1964, o deputado estadual Antonio Torres Junior contratou um show do cantor José Augusto para uma apresentação em Canhoba. O show, realizado na calçada da residência da família Torres, foi um sucesso.
Morte
Pouco lembrado pelas emissoras de televisão na época (que davam ênfase à música sertaneja), José Augusto, por exigência do seu empresário, viajou para Senhor do Bonfim, na Bahia, pouco depois de ter voltado de Aracaju, quando soube da hospitalização de sua mãe, Dona Adolfina. Cumprindo sua extensa agenda, sofreu um acidente de carro próximo da cidade de Feira de Santana, vindo a falecer na hora, com apenas 45 anos. O corpo foi sepultado no jazigo da família, no Cemitério Santa Isabel.

Discografia
LP's
Florisbela Saint-Tropez/Saudade bateu na porta • Carnaval (1961)
Se meu apartamento falasse • Califórnia (1962)
Ninguém faz falta/Minha saudade • Chantecler (1962)
Minha mãezinha/Cantando pra não chorar • Chantecler (1962)
Guarânia da noite triste/Tortura • Chantecler (1963)
Tudo de mim/E o tempo passou • Chantecler (1963)
Engano do carteiro/Até amanhã • Chantecler (1963)
Beijo gelado/Amor proibido • Chantecler (1964)
Angústia da solidão/Traição • Chantecler (1964)
Um novo ídolo • Chantecler (1964)
O cantor galã • Chantecler (1965)
Prova de amor • Chantecler (1965)
Exitos del Brasil • Chantecler (1965)
Dois corações e um destino • Chantecler (1965)
José Augusto • Chantecler (1966)
Preciso de alguém • Chantecler (1967)
Momento feliz • Chantecler (1968)
Prece de um rapaz apaixonado • Chantecler (1969)
Os grandes sucessos • Chantecler (1969)
Só pertenço a você • Chantecler (1970)
Valor de um coração • Continental (1971)
Prece de amor e paz • Continental (1971)
José Augusto • Continental (1973)
Os grandes sucessos • Continental (1975)
José Augusto • Chantecler (1976)
Aliança devolvida • Chantecler (1978)
Abraça-me • Continental (1980)
Os grandes sucessos Vol. 2 • Continental (1980)
Compactos
Se é destino • Chantecler (ano desconhecido)
Se choras, se ris/Nosso erro • Chantecler (ano desconhecido)
Beijo gelado • Chantecler (1964)
Sombras/Já viu • Chantecler (1965)
A bondade de Deus • Chantecler (ano desconhecido)
Mentira piedosa/A arca de Noé • Chantecler (1970)
Beijo gelado/Sombras/Nossa linda canção/Rosário de amargura • Chantecler (1974)
Aliança jogada • Chantecler (1977)
Amor proibido • Chantecler (ano desconhecido)
Sombras nada mais • Continental (1980)


Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Augusto_Costa

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019


Ipê-de-jardim – Tecoma stans
 Tecoma stans, Amarelinho, Bignônia-amarela, Carobinha, Guarã-guarã, Ipê-amarelo-de-jardim, Ipê-mirim, Ipêzinho-de-jardim, Sinos-amarelos


·        Nome Científico: Tecoma stans
·        Nomes Populares: Ipê-de-jardim, Amarelinho, Bignônia-amarela, Carobinha, Guarã-guarã, Ipê-amarelo-de-jardim, Ipê-mirim, Ipêzinho-de-jardim, Sinos-amarelos
·        Família: Bignoniaceae
·        Categoria: ÁrvoresÁrvores OrnamentaisPlantas Daninhas
·        Clima: EquatorialOceânicoSubtropicalTropical
·        Origem: América do NorteAmérica do SulEstados UnidosMéxico
·        Altura: 3.0 a 3.6 metros
·        Luminosidade: Sol Pleno
·        Ciclo de Vida: Perene
O ipê-de-jardim é uma arvoreta bastante ramificada, que pode alcançar 4 a 6 metros de altura. Ele apresenta folhas compostas por folíolos ovais-lanceolados, sub-sésseis e de bordas serrilhadas. As inflorescências são terminais ou axilares, com muitas flores tubulares, amarelas, muito parecidas com as do Ipê-amarelo (Tabebuia spp). A floração é maior nos meses mais quentes, mas pode perdurar durante o outono. Os frutos são cápsulas glabras deiscentes, compridas e contém muitas sementes aladas.
No paisagismo é apropriada isolada ou em grupos, formando renques. No entanto sua utilização é controversa, pois apesar de ser muito ornamental é considerada uma perigosa planta invasora, capaz de inutilizar pastagens e prejudicar a regeneração de áreas degradadas. Isto se deve à sua grande capacidade de produzir sementes viáveis e ao seu rápido crescimento.
O ipê-de-jardim é uma planta muito rústica, e deve ser cultivada à pleno sol, em solo fértil e enriquecido com matéria orgânica, com regas nos períodos mais secos. Tolerante às geadas. Multiplica-se por sementes e por estaquia.


Fonte: https://www.jardineiro.net/plantas/ipê-de-jardim-tecoma-stans.html

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019


FOLHA-DA-FORTUNA: PERFEITA PARA TER SEMPRE EM CASA

Resultado de imagem para FOLHA DE FORTUNA
Kalanchoe pinnata é uma planta suculenta da família Crassulaceae, ordem
Saxifragales, oriunda da África e conhecida como Folha-da-Fortuna. No Brasil, esta planta tem vários nomes como: coerana, oirama-branca, erva-da-costa, sempre-viva, folha-de-costa ou saião.
A planta Folha-da-Fortuna, além de embelezar o jardim ou o ambiente onde se encontra, plantada em vaso ou em canteiro, tem outras qualidades, pois suas folhas frescas têm propriedades medicinais.
Saiba mais sobre essa plana de fácil cultivo, bem resistente e ainda benéfica para a saúde.
Índice

1. CARACTERÍSTICAS DA FOLHA-DA-FORTUNA
A planta Kalanchoe pinnata possui o seguinte diferencial:
·        alcança de 30 cm a 1,5 m de altura
·        o caule é de cor clara
·        as flores são hermafroditas e miudinhas, coloração laranja, rosas,verde-pálido ou amarelo avermelhado
·        as cores das flores são variadas: vermelhas, laranjas, brancas, amarelas, entre outras
·        é uma planta perene (duradoura)
·        as folhas possuem formato oval e arredondado na base e suas bordas são serrilhadas
·        o período de florada dessa planta ocorre no início do inverno, ao fim da primavera

2. CUIDADOS PARA O CULTIVO DESSA PLANTA
A planta Kalanchoe é bem durável e fácil de cuidar.
Os cuidados que ela necessita são:
·        luz solar direta algumas horas por dia
·        se for plantada em vaso, deve ser colocada em local que possa receber Sol e vento
·        as flores desta planta duram mais tempo, quando ela fica exposta ao Sol
·        por ser uma planta suculenta acumula água, por isso precisa de pouca rega
·        no verão pode ser regada duas vezes por semana e no inverno apenas uma ou quando o substrato começar a ressecar
·        a rega deve ser feita só no solo, sem molhar a planta
·        o solo deve secar, antes de regar novamente
·        ao regar deve ser com pouca água, o suficiente para que escoe um pouco no pratinho, ou nem escorra nada.

3. PROPRIEDADES MEDICINAIS E FARMACOLÓGICAS DA FOLHA-DA-FORTUNA
A planta Folha-da-Fortuna (Kalanchoe pinnata) possui propriedades emolientes, cicatrizantes e anti-inflamatórias.
Seus princípios ativos são as mucilagens, taninos, ácidos gástricos, sais minerais e glicosídeos. A Folha-da-Fortuna é rica em alcaloides, triterpenos, glicosídeos, flavonoides, esteroides e lipídios.
Outros princípios desta planta são os bufadienolides, que vêm demonstrando em pesquisas clínicas, propriedades antibacteriana, anticâncer e antitumoral, além de se assemelharem com dois cardiotônicos utilizados pela medicina convencional, que são a digoxina e a digitoxina, usados para tratar doenças cardíacas congestivas e suas complicações. 
A maioria de seus usos medicinais são comprovados cientificamente.
4. BENEFÍCIOS E UTILIZAÇÕES DA FOLHA-DA-FORTUNA
Os indígenas fazem uso da Folha-da-Fortuna para curar inflamações e febres.
O suco da folha misturado com óleo de coco ou óleo de andiroba é utilizado pelas tribos africanas como loção para tratar enxaquecas e dores de cabeça.
Ao longo do Rio Pastaza, no Equador, os nativos fazem uso da infusão das folhas da Folha-da-Fortuna para tratar de ossos quebrados e hematomas internos.
As tribos indígenas do Peru misturam a folha desta planta com aguardente para aliviar nas dores de cabeça e, com a raiz, fazem uma infusão para tratar a epilepsia.
Na Amazônia, uma xícara de uma infusão de Folhas-da-Fortuna, duas vezes ao dia, é usada para infecções respiratórias, tosse e febre.
A folha é bastante suculenta e seu suco serve para cicatrizar cortes, arranhões, queimaduras e ferimentos, para isso a folha deve ser macerada para obter o suco.
Tribos da Amazônia espremem o suco de folhas frescas e misturam com o leite materno para curar dores de ouvido.
O uso tradicional da Folha-da-Fortuna para tratamento de doenças infecciosas (interna e externamente) tem o respaldo de pesquisas científicas que apontam para suas atividades antibacteriana, antiviral e antifúngica.
A folha e o suco da folha combatem vários tipos de bactérias, tais como: Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Shigella, Bacillus e Pseudomonas, incluindo várias bactérias resistentes à diversas drogas.
O extrato das folhas desta planta previne e trata a leishmaniose.
O suco da folha tem ação anti-histamínica e anti-alérgica.
5. COMPONENTES QUÍMICOS DA FOLHA-DA-FORTUNA
Os componentes químicos da folha-da-fortuna são: ácido araquidônico, astragalina, ácido beénico, amirina beta, benzenóides, beta-sitosterol, bryophollenone, bryophollone, bryophyllin, AC bryophyllin, bryophyllol, bryophynol, C bryotoxin, bufadienolides, ácido cafeico, campesterol, cardenolidas, ácido cinâmico, clerosterol, clionasterol, codisterol, ácido cumárico, epigalocatequina, ácido ferúlico, flavonóides, friedelina, glutinol, hentriacontano, isofucosterol, kaempferol, ácido oxálico, o oxaloacetato, o ácido palmítico, patuletin, peposterol, fosfoenolpiruvato, ácido protocatecuico, pseudotaraxasterol, piruvato, quercetina, esteróides, estigmasterol, o ácido succínico, o ácido siringico, taraxerol e triacontano.
6. CONTRAINDICAÇÕES E EFEITOS COLATERAIS
Não se deve utilizar a Folha-da-Fortuna por longos períodos de tempo ou ser usada por pessoas com um sistema imunológico enfraquecido.
Consulte sempre um médico ou especialista em fitoterapia antes de fazer uso de qualquer remédio, ainda que natural, e atenção às interações medicamentosas se estiver fazendo uso de medicamentos. Avise o seu médico.
7. INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS
O uso concomitante da Folha-da-Fortuna com barbitúricos, glicosídeos, cardiotônicos, digoxina e de digitoxinapode, medicamentos imunossupressores, depressores do SNC, podem potencializar os efeitos dos mesmos.
Lembrete: antes de fazer uso da Folha-da-Fortuna para tratar algum problema de saúde, consulte o médico.
8. FOLHA-DA-FORTUNA, UMA PLANTA SURPREENDENTE
Esta planta é surpreendente pela sua capacidade de crescer em qualquer lugar.
Se colocar e deixar uma folha dessa planta dentro das páginas de um livro, depois de alguns dias, a folha irá dar indício do surgimento de uma nova planta, que será capaz de crescer por si mesma, ao ser colocada em cima do solo.
Não é a toa que essa planta tem o nome de Folha-da-Fortuna, pois ela se multiplica com facilidade!
9. FAZENDO A MUDA DA FOLHA-DA-FORTUNA
Olha como é simples fazer uma muda da Folha-da-Fortuna a partir da própria folha
A Folha-da-Fortuna, é uma maravilha de planta, perfeita para ter sempre em casa!
Fonte: https://www.greenme.com.br/usos-beneficios/7167-folha-da-fortuna-beneficios

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019


Tamboril – Enterolobium contortisiliquum
Resultado de imagem para tamburil·         
·         Resultado de imagem para tamburil

·        Nome Científico: Enterolobium contortisiliquum
·        Nomes Populares: Tamboril, Araribá, Árvore-das-patacas, Cambanambi, Sabão-de-macaco, Chimbó, Chimbuva, Flor-de-algodão, Orelha-de-macaco, Orelha-de-negro, Orelha-de-onça, Orelha-de-preto, Pacará, Pau-de-sabão, Pau-sabão, Tambaré, Tamboi, Tambor, Tambori, Tamboril-do-campo, Tamboril-pardo, Tamborim, Tamburé, Tamburil, Tamburiúva, Tambuvé, Tambuvi, Timbaíba, Timbaúba, Timbaúva, Timbaúva-branca, Timbaúva-preta, Timbíba, Timbó, Timboíba, Timborana, Timbori, Timboril, Timboúba, Timboúva, Timbuíba, Timburi, Timburil, Timbuva, Vinhática-flor-de-algodão, Ximbiuva, Ximbó, Ximbuva
·        Família: Fabaceae
·        Categoria: ÁrvoresÁrvores Ornamentais
·        Clima: EquatorialMediterrâneoSubtropicalTropical
·        Origem: América do Sul
·        Altura: 9.0 a 12 metros
·        Luminosidade: Sol Pleno
·        Ciclo de Vida: Perene
O tamboril é uma árvore decídua e frondosa, que alcança de 20 a 35 metros de altura e de 80 a 160 de diâmetro de tronco. Suas folhas são alternas, bipinadas (recompostas), com 3 a 7 pares de pequenos folíolos oblongos. Apresenta copa ampla, com ramificação cimosa e raízes longas e calibrosas. As inflorescências surgem na primavera e são do tipo capítulo, globosas, com cerca de 10 a 20 flores brancas. Os frutos que se seguem são vagens, recurvadas e semilenhosas, em formato de rim ou de orelha, o que rendeu a esta espécie diversos nomes populares. Eles surgem verdes e se tornam pretos em junho e julho, quando amadurecem. Cada fruto pode conter de 2 a 12 sementes, brilhantes e de cor marrom.
O tamboril ocorre naturalmente em florestas pluviais e semidecíduas do norte ao sul do Brasil. É uma árvore que fornece boa sombra na primavera e verão e perde suas folhas no inverno, deixando a luz do sol passar.
 Desta forma ela é bastante apropriada para arborização de regiões com estações bem marcadas. É uma espécie pioneira, de rápido crescimento inicial e muito rústica, apropriada para áreas de reflorestamento. Sua madeira é leve, macia, pouco resistente e utilizada para o fabrico de canoas, caixotaria em geral, brinquedos, compensados, etc. As saponinas encontradas nos frutos e na casca são aproveitadas para produção de sabões.
Deve ser cultivada sob pleno sol, em solo fértil, preferencialmente úmido e irrigado no primeiro ano de implantação. Multiplica-se por sementes. Após a quebra da dormência com desponte, escarificaçãoácido sulfúrico ou água, as sementes germinam em 10 a 20 dias. Elas devem ser semeadas em saquinhos preparados com solo adubado. Após 4 meses em viveiro, sob meia-sombra as mudas já podem ser plantadas no local definitivo.

Fonte: Internet