UNIDOS PELA PRESERVAÇÃO

O futuro da natureza depende do que você faz agora. Ajude a cuidar de nossas árvores, dos nossos animais, das nossas flores, principalmente dos nossos rios, mares e lagos, eles são a preservação da vida na terra. Faça sua parte! Autor: Júlia Kranz Kniest

SEJAM BEM VINDOS!!!

quarta-feira, 30 de março de 2011

OUÇA A VOZ DA NATUREZA

ARARA AZUL
           Ararauna ou Arara Azul


(Anodorhynchus hyacinthinus)


Plumagem mais azul que o céu


A Araraúna ou Arara-Azul é encontrada no Pantanal, na região sul-amazônica, no oeste da Bahia, Tocantins, Piauí e sul do Maranhão. É a maior arara brasileira. São animais muito sedentários e gregários, cuja população está relacionada a existência de árvores para nidificação e aos cocos de poucas espécies de palmáceas. A falta de um destes fatores impede a sobrevivência da ave.


Hoje a população é diminuta por causa da destruição dos habitats, do tráfico e do baixo sucesso reprodutivo.


Na natureza, observam-se as araraúnas em famílias, pares ou bandos de até 63 indivíduos (no Pantanal, até julho de cada ano).


No Pantanal, é comum observar araraúnas próximas às sedes de fazendas; isto ocorre porque as sedes são contruídas nas partes mais elevadas e onde se localizam os acuris e as bocaiúvas ( palmáceas). O pisoteio do gado dificulta o crescimento e a manutenção da população da bocaiúva, o que dificultará a oferta de alimentos para a araraúna. O manejo da pastagem para o gado é feito através de queimadas, as quais se alastram e queimam as cordilheiras e capões, onde existem o alimento e os ninhos das araraúnas.


As árvores para a nidificação, no Pantanal, é a ximbuca (Enterolobium cortisiliquun), o angico-branco (Albizia niopoides) e, principalmente, o manduvi (Sterculia striata). São árvores de grande DAP (diâmetro na altura do peito) e por isso possuem ocos compatíveis com os ninhos ideais para a araraúna. Esta ave nunca inicia um oco, porém pode aumentá-lo.


O preparo do ninho, a postura e o cuidado com os filhotes são ações que demonstram a cooperação do casal. As araraúnas são fiéis a seus pares e na perda do macho ou da fêmea, seu par fica sozinho, não se compondo novamente com outro indivíduo.


Os ninhos são disputados com outras espécies de aves como: arara-vermelha (Ara chloroptera), gavião-relógio (Micrastur semitorquatus), urubu (Coragyps atratus) e pato-do-mato (Cairina moschata) e, mais raramente, por marreca-cabocla (Dendrocygma autumanalis), Falco refigulares e tucano (Ramphastos toco). Outros animais como porco-espinho (Coendou prehensilis) e abelhas (Melis apiphera) também podem ocupar os ninhos da araraúna.


Os prováveis predadores de ovos da A. hyacinthinus são: gralha (Cyanocorax sp), tucano (Ramphastos toco), carcará (Poliborus plancus), quati (Nasua nasua), irara (Eira barbara) e gambá (Didelphis albiventris). Os prováveis predadores de filhotes são: gavião-relógio (Micrastur semitorquatus), gavião-pernilongo (Geranospiza caerulesncens), gavião-preto (Buteogallus urubutinga) e irara.





Região Sul  AmazônicaOeste da Bahia, Tocantins, sul do Maranhã e Piauí


Alimentação cocos de Inajá (Maximiliana maripa) e Astrocaryum sp.Coco de piaçava (Orbygnia eichleri) e catolé (Syagrus oleracea)


Pantanal castanhas de acuri (Scheelea Phalerata), frutos de bocaiúvas (Acrocomia aculeata) e frutos do carandá (Copernicia alba).





Filo: Cordata


Classe: Aves


Ordem: Psittaciformes


Família: Psittacidae


Fonte: http://www.achetudoeregiao.com.br








Vamos rimar?



















Um comentário:

Paulo Romero. disse...

Amigo Hermano,

que maravilha de blog.
São iniciativas com essa,que ajuda na divulgação e na preservação da nossa querida e sofrida caatinga.

Parabéns pelas belas postagens e fotos.

Abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.