UNIDOS PELA PRESERVAÇÃO

O futuro da natureza depende do que você faz agora. Ajude a cuidar de nossas árvores, dos nossos animais, das nossas flores, principalmente dos nossos rios, mares e lagos, eles são a preservação da vida na terra. Faça sua parte! Autor: Júlia Kranz Kniest

SEJAM BEM VINDOS!!!

quinta-feira, 10 de julho de 2014

MUSICAL TALENTU'S - KAYKA, JOAB, GORDO.



VÃO-SE OS PERSONAGENS, MAS FICAM OS TALENTU'S




          Aqui começa uma pequena viagem pelo mundo musical do Grupo Talentu's. Formado pelos irmãos: Kayka (Adailson), Gordo (Adilson) e Joab (todos irmãos. Filhos do Sr. Antonio de Nezinho, ex-vereador poçoverdense no mandato de José Emídio dos Santos). Ex-habitantes do Povoado São José.  Hoje em dia tem seus domicilios aqui em poço verde.
          Preocupados com o trabalho em outras bandas musicais, os irmão já citados, principalmente Adilson e Adailson, posteriormente Joab, resolveram formar o seu próprio instrumento de trabalho. Foi assim que surgiu em 1.996 a ideia de se forma um grupo musical para fazer as festas poçoverdenses. E que nome colocar? pediram-me a contribuição para pensar e ver um nome que se adequasse com o futuro grupo musica. Aí me veio a idéia do nome Talentu´s, isso porque fazia jus aos componentes, por ser pessoas de inteira responsabilidade e dedicação por  onde passaram. A denominação foi totalmente aceita por todos os componentes. 
          para comprar os primeiros instrumentos, os irmãos tiveram que trabalhar duro para um determinado candidato a Prefeito do Município baiano (Heliópolis). Mas ainda não era com o Talentu's, e sim com uma banda local. O contrato durou todo o período de campanha. voltando para poço verde, pararam para pensar e formar suas proprias pernas no sentido de caminharem sozinhos. Apenas com o conhecimento que ganharam durante todo o período que trabalharam para alguns patrões. aí partiram para comprar o primeiro instrumento musical (Teclado bem moderno para a época). E agora? Pensaram... qual o caminho a seguir? Para onde vamos e qual o primeiro contrato a firmar? Munidos de folhas de contratos e a vontade de tocar a primeira festa rumaram-se para a casa paroquial no intuito de conversar com o Padre sobre uma Quermesse que estava para ser realizada  (feira paroquial que era celebrada anualmente nos paises bixos, com grande folguedos populares. Ou feira beneficente, em geral com leilão de prendas). conversando com o religioso firmar o primeiro contrato. Pronto! estamos agora no caminho certo... disseram. Pois bem, seria a quermesse o inicio de uma longa caminhada. Daí em diante não faltavam datas para as sua tocadas. fossem elas pelas prefeituras de Poço Verde, Heliópolis, Ribeira do Amparo, Fátima, Adustina, Tobias Barreto, Simão Dias. Além de Festas de Aniversários, Casamentos Batizados, Formatura em Clubes ou Escolas, Barzinhos, Povoados, além de shows-mícios (comícios) quando ainda era permitido etc. também o São João e São Pedro. Exemplo disso eram os shows que faziam de abertura ou encerramentos das famosas festa juninas poçoverdenses. A Escola Agricola Municipal Presidente José Sarney, não realiza as suas festividades Junina ou de Formatura sem o Musical Talentu's. São muitos os exemplos que temos como testemunhas desse Grupo Musical.
         Além de tocar o barco entre os três irmão, às vezes sentiam a necessidade de contratar eventualmente mais outros componentes que viessem abrilhantar com o sucesso da banda.  Exemplo disso foram: Jordânia(Uma jovem Poçoverdense) para ajudar no vocal o  já titular Kayka, Alan (este habitante do Pov. São José neste Município) o mesmo é sobrinho dos fundadores, Neto de João Firmino (Neto Lins como é mais conhecido artisticamente) é poçoverdense e teve a sua participação assegurada durante muito tempo antes da chegada do Joab que posteriormente assumiu a função de guitarrista ou cavaquinista quando era necessário.Outro tambem que muitas vezes foi convidado a participar do grupo foi Milton (Umbaubense, mas habitante desta cidade durante muitos tempos. o mesmo também ajudava no vocal quando  era solicitado a cantar alguma musicas. ainda teve algumas participações especiais do simãodiense e Saxofonista Bilé. o som do saxofonista trazia mais brilho e beleza para as músicas, pois se tornavam-se mais originais.
          O Kayka além de ser o titula absoluto do microfone, também desempenhava a função de empresário para os contratos de shows. O teclado foi sempre tocado por Gordo (Adilson). No inicio a guitarra era tocada por Neto Lins, mas devido a outras ocupações o mesmo passou a bola para o Joab que pararecia está tudo em casa. assim ficaria mais cômodo até nos momentos de ensaios da banda.
           Empolgados, gravaram vários cds de musicas do seu repertório costumeiro, onde foram gravados diversos estilos musicais. Tempos se vão e as coisas tendem a acontecer sejam ela boas ou ruins, a marcação de Deus é a principal verdade que temos de ouvi e sentir.
                Como músico, empresario do grupo musical e funcionário público que era, O Kayka ainda tentava e consegui desempenhar mais outra função que era gravar e sair vendendo CD's e DVD's de shows ou filmes. Além de oferecer locação dos dvd's para quem queria apenas assistir. Com a sua moto e uma sacola consegui andar pelos quatro cantos da cidade oferecendo o seu produto e desempenhando o papel de quem sempre lutou pelo bem estar de sua família através de seu suor. Era batalhador por natureza. Assim trabalhava todos os santos dias da semana. Mas ficava satisfeito com o desempenho da comercialização. Afinal, estava sempre pegando no dinheirinho suado e levando devagar a sua vida. Cumpria direitinho a sua atividade  como servidor público (Vigilante da Prefeitura de Poço Verde no turno da noite). Mas o que fazer para atender aos contratos do Talentu's? Com a amizade que tinha com outros vigilantes, fazia permutas trocando noites que seria dele (Kayka) por dias que seria de outros. Assim daria para tocar a vida sem precisar enrolar a ninguém. As vezes saia em busca de negócios ou afim de encontra familiares dele no Povoado São José ou até o São Francisco, para o encontro dos familiares da sua Esposa. Assim fez no último dia da sua vida, saiu para todos esses lugares, levando em sua moto as mercadorias que ele mesmo produzia em sua residência e em seu computador. fez todo esse trajeto e a tardinha retornou para poço verde afim de trabalhar a noite na Prefeitura Como vigilante noturno. Sem saber que esta seria a sua última viagem ou seu derradeiro inicio de turno de trabalho.
          Saindo de casa e dando as últimas instruções a sua esposa, rumou para um caminho sem retorno. ao guardar o seu veículo (moto) dentro da Prefeitura tentou fazer o que faria todos os dias, ir em direção ao mercadinho para compra o lanche noturno. ao entrar no referido local e escolhendo aquilo que serviria para a sua alimentação caminho firmemente para o caixa, mas a sua hora e os seus minutos de vida já tinham completados naquele momento e naquele lugar. Assim só lhe restou a colocação da mão no peito desabando em seguida. Ali mesmo dentro do estabelecimento comercial teve fim a vida de quem trabalhou para viver honestamente. Socorrido por populares tentando reanimá-lo o mesmo apenas deu o seu último suspiro de vida, morrendo imediatamente. Parece que só mesmo Deus sabia dos seus problemas de saúde, se os existiam.
            Foi-se de repente uma pessoas super ativa e trabalhador. Um cidadão que sempre se preocupou com o cumprimento de seus compromissos, fez da terra o seu palco de alegria. Também fez-nos crê que a terra merece muitas pessoas assim do seu jeito e do seu quilate. Mostrou para todos a sua alegria e esbanjou felicidade nos momentos em que muitos andavam tristes e cabisbaixos. a sua voz característica demonstrava talento e foi por este e outros motivos que foi sempre solicitado a alegrar a população de algum local ou de algum região. fez do seu trabalho uma forma de demonstrar o seu cumprimento com as coisas pública e não importando com a desonestidade de outros. Foi-se o personagem mas ficou o seu talento.
           Parece-me que o silencio durou até ontem 23/04/2011. Quando os dois irmão receberam o convite para tocarem com o Musical Talentu's em um barzinho da cidade. Aceitaram o convite e foram tentar recolocar nos trilhos aquilo que sempre fez a alegria da galera. Mesmo sem o seu principal personagem (Kayka) a exemplo de muitos outros artistas que perdem um dos componentes. Os dois irmãos (Gordo e Joab) tentam tocar o barco para a frente. Mesmo porque o que partiu para a vida eterna queria alegria e será desta maneira que podemos conseguir alegra a sua alma que deve está sempre presente nas hora alegres. Pois a tristeza nunca morou em sua vida enquanto deu pra viver. Hoje encontra-se repousando em lugares marcados por DEUS. Por isso diremos a vocês que procurem enfrentar esta batalha e procurar coram para superar a perda e de um dos seus grandes e porque não dizer principal procurador de contratos. Mas sejam fortes e procurem solucionar todos os problemas que encontrarem pela frente. Tenham a certeza que o nome do grupo musical já existe, e isso já é um grande degrau de subida para o sucesso. Acreditem e sigam. O futuro dirá. Estas foram as singelas e simples palavras de quem o tinha como irmão além de ser compadre.


                                 Poço Verde - SE 24 de abril de 2011
                                                   Hermano Alves
----------------------------------------------------------------------------
Aqui vão algumas palavras em forma de CORDEL  em homenagem Kayka, num trabalho já publicado anteriormente, intitulado como PARTIDA SEM DESPEDIDA
----------------------------------------------------------------------------




Sumiu de perto de nós
Alguém chamado Kaika
Conhecemos seu valor
Pela impressão boa que fica.

Foi algo extraordinário
Foi guerreiro e lutador
Foi voz que nunca calava
Foi um homem de valor.

Até a hora da morte
Cumpriu com o seu dever
Foi comprar um alimento
Pois precisava comer.

No dia certo da viagem
Pra onde Deus quis levar
Andou pelo São José
Pra com os irmãos falar.

Com seu tempo reduzido
Porque ia trabalhar
Veio embora logo cedo
Com sua moto a pilotar.

Rumou para sua casa
Onde ali sempre morou
Pra mais tarde trabalhar
Sem medo e sem temor.

Talvez chegando rápido
O seu momento final
Nem pôde ver os amigos
Pra dizer adeus ou tchau.

Não há quem te condenes
Nem diga que foi ruim
Foi sempre um bom companheiro
Pros outros e também pra mim.

Só Deus teve o poder
De calar a sua voz
De partir sem despedida
Pra bem distante de nós.

Foi honesto, companheiro.
Sujeito batalhador
Por isso guardo a lembrança
De um homem lutador.

O cabedal que ele tinha
Era a sua honestidade
Foi guerreiro e lutador.
Trabalhador de verdade.

O Deus que ti protegeu
Até chegar o seu dia
Fez com que nosso Kaika
Semeasse harmonia.

Tudo que ti pertencia
Tinha a marca do progresso
Talvez ele não pensasse
Na viajem sem regresso.

As festas não são as mesmas
Deixou-nos muitas lembranças
Recordação de uma voz
Que transmitia esperança.

Quando o Talentu’s tocava
Era sinal de alegria
Mesmo tendo outra banda
Mais famosa da Bahia.

Hoje só resta o áudio
Dos seus discos que gravou
Foi surpresa para ele...
De morrer nunca pensou.

Tinha festa acertada
Para o final de semana
Os planos que vêm de Deus
Não demora, não engana.

Partiu sem nos dar trabalho
Sem despedir de ninguém
Sem dar adeus aos amigos
Sem nos dizer quando vem.

Saiu para descansar
Até quando não sabemos
É coisa do bom guerreiro
Da bondade que fazemos.

Em quanto esteve na terra
Alegrou todo vivente
Era comunicativo
Talvez por ser diferente.

Conquistou a sua vida
E foi sempre organizado
Cumpria suas tarefas
Pra não ser penalizado.

O que fazia era certo
Trabalhando sem parar
Ganhava o pão com suor
Pra ninguém não ti cobrar.

No dia da sua morte
O povo reconheceu
Os humildes partem cedo
Mas Kaíka não morreu.

Morreu o homem de bem
Calando a voz da humanidade
Parando um pouco de tudo
Abalando a cidade.

Pegou-nos como surpresa
Abalando para sempre
A partida do Kaika
Que viveu sempre contente.

Quem no mundo esperava
Toda a alegria acabar
Parando a voz do Talentu’s
Sem saber quando voltar.

Um amigo valioso
Tem valor incalculável
Assim era o Kaika
De prestigio inestimável.

Se para falar do seu jeito
Da sua maneira de ser
É dizer da alegria
E da forma de viver.

Levou uma vida regada
Com trabalho e prazer
Fez alegrar esse povo
Até quando pôde viver.

Fomos todos seguidores
Da sua voz inconfundível
Fomos admiradores
De um guerreiro imbatível.

Partiu deixando saudades
Pra quem com ele viveu
Foi viver em outros planos
Sem nunca dizer que morreu.

Cantava quando podia
Trabalhar foi seu dever
Cumprir com o prometido
Foi assim o seu viver.

Foram noites de alegrias
Em toda esta região
Fosse qual fosse à folia
Em natal ou no São João.

Nas festas de aniversários
Vaquejada e tudo mais
Pra Kaika era normal
Bom, ruim ou Tanto faz.

Estamos sentindo falta
De quem viveu por aqui
De quem cantou pra alegrar
De quem tentou prossegui.

Com muita tristeza no rosto
Muita dor no coração
Vejo partir um amigo
Vejo morrer um irmão.

É difícil a despedida
Foi duro vê-lo partir
É ruim saber que hoje
Já não estar mais aqui.

Kaíka foi um sujeito
Muito bom pra se lidar
Foi bondoso e decente
Aqui ou em qualquer lugar.

A morte vos separou
Levou pra outro lugar
Deixou saudade e lembranças
Para os que vão ficar.

Nem disse pra onde ia
No momento da partida
Não queria sofrimento
Para a sua outra vida.

Talvez não fosse seu plano
Queria viver um pouquinho
Queria cantar pra alegrar
A terra por inteirinho.

Alegrar e ser alegre
Foi seu projeto de vida
Pregando pra todos nós
Da boa terra querida.

Alegrai vossa família
Tristeza com ele não tinha
Partiu deixando saudade
Não nos disse quando vinha.

A sua voz se calou
Exato no dia seis
Morrendo assim de repente
Parando assim de uma vez.

Difícil ter que dizer
Que a vida é sempre assim
Quanto mais o cabra é bom
Tão perto é o seu fim.

Tentamos o esquecer
Pra pensar no amanhã
Mas as lembranças aparecem
Pra quem tem a mente sã.

O que mais impressiona
Pra quem está por aqui
É dizer que o Kaíka
Não pôde se despedir.                                                                                                                                                                                        
A rapidez foi tão grande
Que nem deu para pensar
Pensar naquilo que tinha
Pra poder organizar.

Corria tanto o Kaika
Para ter dignidade
Revirava quatro cantos
Todo dia esta cidade.

Mas a morte não tolera
No momento de agir
Não quer saber se o homem
Tem algo pra conseguir.

É assim que resumimos
Sua vida de labuta
Correndo até quando pode
No seu projeto de luta.

 Quem pretende conseguir
Faz o mesmo que ele fez
Só pára sua vontade
Quando aquietar de uma vez.

Falei pouco, mas lhes disse o que sabia.
Com certeza ele falaria tudo isso e muito mais...
Se a vida lhe desse oportunidades, mais um minuto, mais um segundo ou um milésimo de segundo.
Foi muito rápido! Não lhe proporcionou um tempinho antes do momento de sua partida. Não deu oportunidade para a sua despedida...
Parou no momento de comprar seu alimento. Por que houve tanta pressa, sem lhe dar conhecimento? A comunicação não valia? Pra o comunicador! Por que não deu mais um tempo?
Antes de causar a dor? Se tinha uma vida agitada, pra cumprir com seu dever... Porque não lhe deu mais um tempo? Antes mesmo de morrer? Com certeza ele queria se despedir dos amigos, não era pra ser assim... Pois não devia castigo. Já na hora de morrer, nem deu tempo pra pensar. Foi chegando de viagem e indo pra trabalhar... Quem calou a sua voz também cala qualquer um, não é apenas Kaika, é você, é qualquer um... Na viagem repentina só uma roupa levou... Não deu tempo pra pensar seria lá o que for... Usou sempre a sua voz pra falar da alegria... Mas a viagem foi rápida, pra não causar agonia... Tinha amigos por aqui, até mesmo mais distantes, não era pra ser assim. Era pra viver bastante... Mas Deus levou sua vida, para o mesmo descansar, achou que era o bastante pra quem vive a trabalhar... Era sempre um guardião. Trabalhava noite e dia, pra honrar seus compromissos que confiante fazia... Tinha tanto pra falar, destes momentos cruéis, mas a tristeza me invade, da cabeça até os pés...


     Esta foi uma pequena homenagem a aquele que foi para nós, um exemplo de vida. Onde os seus trabalhos contínuos não lhe deixavam tempo para passear, curtir a ávida numa boa. Até o momento da sua despedida final estava trabalhando. Comprava no momento um lanche para saciar um pouco da sua fome durante uma noite de vigilância do patrimônio público, na Prefeitura Municipal de Poço Verde.
Hermano Alves.
Poço Verde – Se/06 de maio de 2010















      Com muita tristeza, tenho a honra de contar através de versos, um pouco dos meus pensamentos do que foi Kaika.
Assim, quero oferecer a todos aqueles que como eu, teve a sorte de conviver quase que diariamente com esta pessoa que recentemente nos deixou.
       Deixou de maneira repentina e precoce. No momento de exercício e honradez das suas obrigações.
       É motivo de orgulho, mesmo com o peito flechado por uma perda irreparável.
      Ou que pode ter sido convocado para alegrar outro público, em outro plano, em outro lugar. Mas sua voz ficará presente na lembrança de todos nós.
       Se o seu oficio era cantar e alegrar a todos, não temos nenhuma dúvida de que o Kaíka será muito feliz aonde quer que esteja neste momento...

Para sempre será lembrado por todos, com ternura e com afeto!



      Adailson Freire Fontes                  
* 15/06/1967
+ 06/05/2010
------------------------------------
Mais conhecido popularmente por Kayka.

ESTA ERA A CAPA DOS CD'S DO MUSICAL TALENTU'S
Hoje os telefones para contatos são: (79) 9843-5205  - Joab Poço Verde - SE
                                                               (79) 9936 -2806 - Gordo Poço Verde - SE
                                                      


OUTROS REGISTROS IMPORTANTES DO MUSICAL TALENTU'S


                                          MUSICAL TALENTU'S EM ATIVIDADE
                      Kayka fora das atividades. Na praça da Igreja Matriz de São sebastião
                                  Aqui os verdadeiros titulares do Musical Talentu's
    Outros cantores que eventualmente faziam parte do Musical Talentu's


Apesar das tristezas e recordações que esta família enfrenta com a perada de um grande ídolo familiar (Kayka). dois dos irmão que moram em Poço Verde, (Joab e Gordo)  resolvera montar um barzinho. para tentar ganhar alguns dinheiros e também  gerar o encontro de alguns velhos amigos. pois com a perda do mesmo, estes dois irmãos estavam se achando um pouco desolados e sem alternativas para a vida. Já que tinham como fonte de renda o MUSICAL TALENTU'S. Este pequeno Bar, como mostraremos a seguir através de fotografia, leva o nome deste famoso grupo Musical. Este está localizado na AVENIDA SÃO JOSÉ, SAÍDA PARA HELIÓPOLIS.





Só resta as lembranças do velho companheiro da música (KAYKA).
Gordo e Joab, não cansam de olhar para a estrada, para alimentar as esperanças de um dia tê-lo o Kayka de volta. Quem dera!!!!









4 comentários:

Professor Caduda disse...

Prabéns ao Professor Ermano por fazer este registro sobre esse grupo musical que fez a alegria de tanta gente. Confesso até que o primeiro contato com minha esposa foi uma dança no antigo clube, O Vaqueiro, onde Kaika cantava uma música de João Paulo e Daniel. Tenho certeza que muitas outras histórias de amor tiveram início ou reinício nos shows desse que foi e ficará em nossa história como um grande grupo musical.

rivanete disse...

PARABENS JERMANO POR ESSA OMENAGEN AO MEU GRANDE IRMÃO KAIKA . EU COMO CENDO A PESSOA QUE ESTAVA ELI NAQUELE MOMENTO DA SUA MORTE AS VEZES FICO PERCUNTANDO MEU DEUS SERA QUE EU PODIA TER FEITO ALGUMA COISA E AI A TRISTEZA ENVADE MEU CORAÇÃO POR EU TÁ ALI E NÃO PODER SALVAR A VIDA DO MEU IRMÃO KAIKA UM ABRAÇO DE EDLEUSON

bia disse...

sofrir muito e ainda sofro bastante com a partida do meu irmao estou chorando mas e de alegria em saber o quanto ele e querido por pessoas de bom coraçao obrigado a todos e em especial hermano por essa homenagem

bia disse...

hermano muito mas muito obrigado por essa homenagem ao meu irmao que deus abençoe voce e toda sua familia por toda vida. adailton.f.f amigo e coisa pra se guardar...